quarta-feira, 24 de maio de 2017

Economistas esperam desdobros da crise política para mudar projeções


Os economistas do mercado financeiro estão à espera de desdobramentos da crise política para, se for o caso, alterar suas estimativas para a economia. Esta é uma das indicações trazidas pelas projeções contidas no Relatório de Mercado Focus divulgado pelo Banco Central.

O relatório agora divulgado recebeu as projeções do mercado para a economia. Portanto, o documento já foi, em tese, impactado pela delação de executivos da JBS, cujas primeiras notícias já saíram.

Os números do Focus, no entanto, indicam que os economistas pouco alteraram as principais projeções econômicas, sendo que, quando fizeram isso, as mudanças foram favoráveis em sua maioria.

O câmbio é um bom exemplo. A projeção para o dólar no fim de 2017 caiu de R$ 3,25 para R$ 3,23 no Focus. Isso ocorreu apesar de a moeda americana ter disparado ante o real, em meio aos primeiros impactos das delações que comprometem o presidente Michel Temer. A projeção para o dólar no fim de 2018 seguiu em R$ 3,36 no Focus.

O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, reconheceu em evento em São Paulo que as incertezas políticas aumentaram em função dos eventos ligados à JBS. Ainda assim, no Focus desta segunda os cálculos para o IPCA - o índice oficial de inflação - tornaram-se mais favoráveis: a taxa projetada para 2017 caiu de 3,93% para 3,92% e a inflação para 2018 foi de 4,36% para 4,34%.

No caso do PIB, as projeções seguiram congeladas ao longo de toda a semana passada, a despeito da crise política. O Focus divulgado nesta segunda indica que o mercado projeta crescimento de 0,50% em 2017 e de 2,50% em 2018.